A minha vida num Psi...

Novembro 26 2008

Hoje vinha eu de comboio, sendenta e devorando as palavras que José Luís Peixoto (JLP) usou para escrever "Uma casa na escuridão".

Cheguei ao meu destino, retirei o marcador das últimas páginas do livro e utilizei-o para o seu fim!

De repente... fiquei irritada! Intolerante com todos à minha volta... só me apetecia esbofetear os meus vizinhos do banco onde estava sentada. Nada me fizeram,... mas aquela sensação ia-me prenchendo os espaços vazios da minha existência comutante... Nada detonou a minha bomba! Fui eu mesma!

Sem tomar consciência do meu pensamento, ainda por pensar, inconscientemente começava a reagir ao dia seguinte... o dia em que teria de ir para Lisboa de carro! Dia em que não poderia sentar-me no comboio, no metro e ler! Acabar o manjar que JLP me expunha na sua obra... Nada me deixa mais irritada que me impedirem de fazer "apenas" o que gosto! Pareço imberbe, intolerante à frustração, reactiva num momento em que o pensamento se esquece de processar as emoções! Tudo por uma obra!

Onde me encontro leio:

"As conversas que eu tinha com o PC não eram as conversas que tinha com a minha M. As coisas que o PC sabia de mim não eram coisas que a minha M sabia de mim. Cada um era uma parte diferente de mim... A ideia de que podiam começar a falar enchia-me de vergonha. A minha M podia contar coisas que lhe conto só a ela. O PC podia contar à minha M coisas que só lhe conto a ele. De repente, aquelas duas partes distintas de mim podiam juntar-se ali, fora de mim. Sem o meu consentimento...."

Lendo um texto tão bonito... que amplia a minha espectativa... é ou não é de uma pessoa ficar irritada?

Sexta vou de comboio! Tenho dito!

Publicado por Larissa às 20:46

Bem que gostaria de comentar com pertinência. Infelizmente, nem a M. nem o PC deram com língua nos dentes e ignoro em absoluto as duas partes distintas em que resolveste redobrar-te ou, quem sabe, fraccionar-te. É que numa vida num Psi ... tudo é possível ou imaginável. Pronto, adoras ler nas deslocações - o que significa que arranjas lugar sentadinha - e ficas incomodada se te tiram esse prazer... Imagino que tenha sido alguma greve que, diga-se, estão cada vez mais raras...
Mas precisas de um pouco de calma, de relaxe, não premiar tanto o lidar com o «stress» da vida quotidiana que se apodera também daqueles que foram prematuramente empurrados para fora da vida activa.
Isto dito, gostei do artigo a que faltou apenas a pimenta de alguém, pelo menos conhecido, te tocar e te abraçar...
Hummmmm ... para que fui pensar nisto no final do comentário? Só irei ao Psi ... em Janeiro, podia omitir... Abraço (virtual) pois estás ainda longe....
Manuel Luís a 27 de Novembro de 2008 às 19:05

:)
Greve não, é mesmo por necessidade de trabalho... por vezes tenho de viajar de carro pois saio muito tarde e em Lisboa os transportes são muito mais difíceis a partir das 9 horas, o que implicaria que eu tivesse de demorar 2 horas para chegar a casa, em vez de demorar 30 minutos... de qualquer forma é muito mais interessante viajar de comboio.... como disseste vou sentadinha a ler.... Bem, agora com a crise já são poucas vezes em que tenho oportunidade de ir sentada, mas mesmo em pé dá para ler.
De qualquer forma, dizem que a crise atenua no final de 2009, o que quer dizer que só terei de esperar mais um ano para poder ir sentada, ou então passo eu a ir de carro! Mas é uma chatice!
lolololololol
Larissa a 30 de Novembro de 2008 às 11:50

Oi, Larissa!

Só passei rapidinho pra desejar que tenha um ótimo fim de semana.
Um abraço do Marco.
propagandaearte a 28 de Novembro de 2008 às 14:58

O modo como eu vejo o mundo... Tão condicionado como o de qualquer outra pessoa.
Pesquisar neste blog
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
27
28