A minha vida num Psi...

Novembro 07 2008

Ontem foi lançado o último livro de Saramago... fiquei tão feliz que corri até à livraria mais próxima... Fui namorar o livro! Não o comprei porque espero pelo dia 3 de Dezembro, data em que haverá o lançamento oficial e em que espero conseguir que o autor autografe um livro para mim.

De qualquer forma... fui ver o que o próprio diria a propósito do assunto. Fui ao seu "Caderno", mas ele ainda não discorreu nada sobre o assunto!

Escreveu outras coisas muito belas! Passo a transcrever: "Porque a bondade, por si só, já dispensa a justiça e a caridade, porque a justiça justa já contém em si caridade suficiente. A caridade é o que resta quando não há bondade nem justiça."

Não posso deixar de ficar comovida com esta frase e pensar que a bondade é o futuro! Os analistas/psicanalistas/grupanalistas também assim o pensam... e procuram transmitir aos seus pacientes que existe bondade na relação humana, que eles têm bondade escondida no meio da sua perturbação mental.

Então... ensinarmos as crianças desde cedo o conceito e a prática da bondade, bem como ajudar pessoas com doença mental a sentirem na relação e a desenvolverem a bondade poderá dar uma grande ajuda à justiça no mundo... à igualdade... É um caminho profícuo para a ausência de doença mental.

 Obrigada a saramago e a todos os grupanalistas que me têm ensinado muito.

Publicado por Larissa às 09:02

Mais uma vez venho visitar esta (linda) casa que manténs aberta. Algo com minha psique deprimida, me fez bem a tua referência a Saramago, cuja obra porventura e como é da tradição, só tarde demais será devidamente apreciada. Isto dito, se é certo que a bondade humana constitui um prius » e, com base nela, quase tudo se resolveria mais equitativamente - nem falo da justiça justa - seguro é, que essa missão de educar nela novas gerações, centrar na educação a solução das questões morais e de seres sociais , parece apontar um idealismo que norteou os primitivos socialistas (séc. XIX), na sua aspiração por uma sociedade mais justa. A sociedade selvagem e competitiva em que vivemos, porém, na minha modesta opinião devorará os mais fracos.
Sem prejuízo desta opinião, que nem será antagónica, louvo o esforço daqueles que têm dedicado a sua vida precisamente a cuidar dos mais carenciados, predominantemente os que descreves.
Sou teu leitor e te desejo o sucesso possível.
Desculpa. hoje estou descrente.
Manuel Luís
Manuel Luís a 7 de Novembro de 2008 às 23:29

E tens razão! Os mais fracos serão sempre devorados pela inveja dos mais fortes. Inveja talvez por não poderem ter tempo para a simplicidade das coisas, por terem pouco tempo para a bondade ou para fazer a justiça, até porque poderão estar mais preocupados em se fazerem ouvir e ver, mas provavelmente nunca o sentirão pois também não terão tempo para sentirem isso!
Uma amiga minha, carinhosamente, fica furiosa comigo pois eu vejo, ou julgo ver, que sempre há qualquer coisa de bom na adversidade!
Tu descrente... eu lírica!
lolol
Larissa a 8 de Novembro de 2008 às 23:32

Ainda bem que existem pessoas como saramago, para mexer por dentro os pensamentos.
Abraço com mar
joao marinheiro a 8 de Novembro de 2008 às 13:55

O modo como eu vejo o mundo... Tão condicionado como o de qualquer outra pessoa.
Pesquisar neste blog
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21

23
24
25
27
28