A minha vida num Psi...

Setembro 30 2008

Hoje voltei-me para a literatura Grega.

De vez em quando volto à origem das coisas belas. Volto ao tempo em que falar de coisas belas não era sinónimo de se ser parvo, mas era sinónimo de se ser filósofo... Não que eu seja filósofa! Nada disso! Nem tenho capacidade para o ser!

Mas gosto de voltar e ler quem do vulgar fez o belo!

 

Hoje inicio por Eros!

Eros... Deus grego do amor... Cupido para os romanos "...Deita-se sempre por terra e não possui nada para cobrir-se, descansa dormindo ao ar livre sob as estrelas..." "Eros está sempre à espreita dos belos de corpo e de alma, com sagazes ardis. É corajoso, audaz e constante." diz platão no seu "O Banquete", 3 séculos AC.

 

Aos nossos olhos de Humanos do século XXI,  Eros é traido pelo desejo... É cego como que se punindo por ceder à inevitabilidade e à brincadeira dos Deuses de Olimpo, como fez Édipo.

 

Édipo!

Quem é este personagem que nos assusta e nos atrai tanto? Será como o Deus Eros que assusta e atrai visceralmente? Só mesmo lendo o conto!

Hoje o mito do Édipo é uma realidade... quer dizer aplica-se à nossa realidade.

Isto é...passo a explicar...Todos já vivemos a época em que desejámos fazer o papel de mãe (no meu caso que sou mulher! Ou o papel de pai, no caso dos homens!) para que o nosso pai (ou mãe no caso dos homens!) se aproxime de nós e nos veja como mulheres (ou homens!). E aqui começa o ardiloso Eros em acção!. Ao desejarmos o papel da mãe vamo-nos identificar com ela (ou identificar com o pai no caso dos homens!), vamos imitar os seus gestos, copiar aquilo sobre o qual nada sabemos. Enfim, vamos construindo o nosso feminino (ou a masculinidade nos homens!)!

Foi assim que aprendi a ser mulher!

Ora bolas! É uma história tão simples, do século III AC, mas tão dificil de entender pelos Humanos do século XXI.

 

Eros e Édipo... um Deus e um mito... alguém deveria escrever sobre os dois a interagir!

Está ai alguém?

Vou contactar os gregos... talvez eles ainda sejam capazes de escrever sobre o que é simples sem se assustarem!

 

Obrigada a todos os escritores pré-socráticos, a Sócrates (do século III AC) e aos escritores pós-socráticos.

 

 

Publicado por Larissa às 17:14

Setembro 29 2008

Hoje não posso deixar de comentar!

Ontem fui ao cinema! Fui ver o filme "Mama Mia"

Melhor que a Merly estavam os 3 actores principais quando, no final, se vestiram à "anos 60" e cantaram!

Maravilhoso...mas durante o filme tudo me passou pela cabeça... Que maravilha é termos alguém que nos ama sempre! Sempre! E, imaginem, com todos os nossos defeitos!

O David é o "alguém", um "alguém" muito dominante na minha vida! Poderá o meu amor pelo David resistir ao tempo? Acho que sim! Poderá o amor do David resistir a mim? Acho que sim! (se a minha loucura deixar!)

E os amigos! Aquele filme é um atributo à amizade... à verdadeira... à quela que se sente!

Quando for cinquentona deverei ser assim como a personagem principal... louca, mas saudável... capaz de enfrentar pesadelos, mas saber perdoar e deixar para trás o que já foi, após um pedido sincero de desculpas!

E digo-vos... além de David, no momento actual sou capaz de me lembrar de uma série de amigos e amigas com quem viver essa loucura na década de 50...

Ai que bom!

Publicado por Larissa às 11:31

Setembro 20 2008

Hoje, sábado, tive uma aula sobre a história e o desenvolvimento da psicanálise.

Um dos conceito que se estudou foi o de "empatia".

Empatia... será a capacidade de estarmos com os outros, do os ouvir, compreender e não julgar? Sim! Parece-me que sim. Não é simpatia nem antipatia... é simplesmente compreender!

Ora a compreensão parece-me uma palavra muito rica! Rica afectivamente... é claro!

Selecta... sensata... quer dizer... define um conceito muito sensato.

Empatia e compreensão!

Poderemos adicionar a palavra "estar" ou "ser". Estar para dizer ou ouvir... ser com o significado de ser verdadeiro na escuta e na palavra dita.

 

Empatia... falta-nos isto!

Empatia... para mim... também é sinónimo de belo... é o sentido da vida.

 

Tudo o que escrevo parece sem sentido, mas é uma verdade muito minha, seguindo a livre associação que a psicanálise nos ensina.

 

Talvez deva estudar mais textos sobre teorias psicanalíticas, mas com olhos empáticos e não preconceituosos, simpáticos ou antipáticos.

 

Vale a pena!

Publicado por Larissa às 22:21

Setembro 18 2008

"Sermos um punhado de dia... sermos um punhado de noite... sermos quem somos sem nunca trair a essência de um manifesto genético que nos emprenhou pelas entranhas de um pai e de uma mãe. Eis-me bela de dia e bela de noite. Sem olhar o meu reflexo imagino-me no espelho emocional dos outros... primeiro dos meus pais e posteriormente de quem e do que escolho. Escolho quem quero... tu! E escolho Lisboa."

"Fico-me na realidade das coisas!"

Publicado por Larissa às 14:08
Tags:

Setembro 16 2008

"Passo a passo vou caminhando nesta estrada silenciosa! Ouço o silêncio que me prenche a alma daquilo que não quero querer. Nego tudo o que me faz feliz na minha angústia de perda! Até quando?

Choro lágrimas preenchidas de uma angústia sem nome ... e cada uma cai mais solta que a anterior!"

 

Depressivo! Angústiante!

 

Porque será que nos lembramos, ligeirinhos, de tudo o que, um dia, nos magoou?

 

Será que a nossa memória é selectiva e escolhe apenas o que é mais negativo para evocar?

 

Não acredito nisto!

 

Desde pequenos que esticamos a mão quando algo nos faz feliz.

Simbolicamente esticamo-nos para tentar agarrar, para todo o sempre, aquilo que mais queremos. Queremos agarrar furiosamente o momento na incerteza de o esquecermos. O dextro estica a mão direita e o canhoto a mão esquerda.

 

Estico a mão! Tento agarrar!  Não posso deixar fugir aquilo que mais quero. Agarro o momento perfeito. Estico a mão para tocar no que me faz feliz! Estico a mão para tocar numa outra pele que não a minha! É a seda que envolve quem eu amo!

 É por isso que estico a mão! É para sentir a presença de um outro que me ama.

 

Mas também dou o meu corpo para ser tocado...sentido...amado! Que ninguém sinta a ausência da minha pele!

 

Obrigada D.

Publicado por Larissa às 21:21
Tags:

Setembro 12 2008

Soube que um grande amigo meu vai viver uma grande mudança na sua vida.

Pensei... até que ponto pode uma pessoa suportar tanta mudança?

 

A confabulação de quem não sabe o que se avizinha... a incógnita de quem não sabe se suporta o peso das consequências das suas acções, etc., é que nos mata por dentro.

 

Conto uma história... outra pessoa muito querida na minha vida, outro e primeiro amor da minha vida (curiosamente o meu marido!) iniciou o MBA. Este tinha tanta ansiedade antes de começar que ficava sem dormir. E porquê? Porque a expectativa de falhar, de já não ser capaz de estudar e de poder corresponder às suas próprias expectativas de perfeição (sim.. perfeição!) era um peso excedentário. Acabou um dos 5 melhores alunos do ano!

E para quê toda aquela ansiedade? De que lhe serviu? Nada!

 

Enfim... Com a mudança pode-se ir até um ponto muito longínquo...

 

A mudança é uma quebra com a rotina do passado, mas também uma grande liberdade de projectarmos os nosso desejos no futuro!

 

E sente-se um medo!!!!! Um frio na espinha!

Eu cá não tenho muita coragem para a mudança, mas quando ela acontece e me força a olhar para outro paradigma... às vezes penso que foi mesmo para melhor.

 

O futuro o dirá! Quer dizer... o que faremos com as perspectivas da mudança condicionará a forma como iremos construir o futuro.

 

E será que acreditamos no futuro?

Este nada mais é que a projecção dos nossos sonhos!

E, dizem por aí, que o sonho comanda a vida!

 

Sonha L. ... Sonha muito... e bons sonhos!

Publicado por Larissa às 08:48

Setembro 09 2008

Ontem iniciei as minhas aulas de ginástica.

Mais uma vez reencontrei aqueles que apelido de "Família gímnica". Confesso que tinha muitas saudades deles todos e de outros tantos que faltaram ou que já não podem ir.

Particularmente o Luís!

Como amiga, e grande respeitadora das escolhas de cada um, impuz-me a mim mesma nunca comentar isto, pois sei que a impossibilidade de ele ir é mais forte! Existem grandes mudanças a acontecer na sua vida e todas elas de grande porte.

 

Mas eu sou exímia em quebrar regras... quebro-as uma vez na vida, ou duas no máximo, mas eventualmente quebro-as !

 

Este amor que descobri tão tarde na minha vida... faz-me falta!

 

Desculpa pá... mas fazes-me falta!

Publicado por Larissa às 12:45

Setembro 04 2008

Um dia tive a original ideia de querer escrever um livro.... Partilhei-a com o meu adorado amigo Serrita (L) (aquele que acha que Saramago é uma canceia! Mas quem é que o trouxe!) que me deu total apoio.

Mas quem é que se lembraria de escrever um livro se mal sabe escrever correctamente o Português corrente? Eu claro!

 

O meu livro começaria assim... "Não, ela não. Ela estava vestida de pedaços de lua." 

A dada altura, ainda no primeiro capítulo (eu nunca incluiria capítulos, mas é só por uma questão de organização), diria....escreveria... "Ele talvez.... Queimava com o seu olhar de sol."

 

Narrador não participante no 1º capítulo, mas personagem principal no 2º capítulo.

 

Talvez nunca escreva este conto... Sim seria mais um conto e não um livro. Mas vou colocando neste pequeno espaço cibernauta partes desse conto.

 

Ideias não me faltam... Falta o(a) escritor(a).

 

Obrigada L./Serra

Publicado por Larissa às 22:02
Tags:

Setembro 03 2008

Hoje soube que Saramago teria terminado a sua nova obra!

 

 

Fiquei feliz até porque estou a ler mais duas das suas obras... neste momento leio "As pequenas memórias", livro autobiográfico e de grande conteúdo psicológico...

 

Este monstro da literatura portuguesa/espanhola/mundial escreve como poucos (muitos laureados com o prémio Nobel) sobre a psicologia humana...

 

Se não vejamos (espero poder copiar este trecho das edições Caminho!) :

pag. 18

"... Então digo à minha avó:«Avó, vou dar por aí uma volta.» Ela diz «Vai, vai.», mas não me recomenda que tenha cuidado, nesse tempo os adultos tinham mais confiança nos pequenos a quem educavam...."

 

Pag.20

"Não falta quem afirme seriamente..., que a paisagem é um estado de alma, o que, posto em palavras comuns, quererá dizer que a impressão causada pela contemplação de uma paisagem sempre estará dependente das variações temperamentais e do humor jovial ou atrabilioso que estiverem actuando dentro de nós no preciso momento em que a tivermos diante dos olhos..."

 

E eu que me dedico a investigar o temperamento e o humor e a percepção!

Foi uma agulha num palheiro... com linha incluída!

 

E é tão bonito!

A beleza faz-me sentir como se estivesse ao vento a sentir a liberdade desse momento bem quentinho.

 

Obrigada José S 

Publicado por Larissa às 15:50

Setembro 01 2008

À beira de uma piscina iluminada, ao som de Venessa da Mata e de Ben Harper... senti-me bem...

Pensei que me resta mais uma semana de férias... e fiquei feliz!

A expectativa de aproveitar o resto dos dias de férias ao sol, mas também a expectativa do retorno à vida regular de trabalho, dos amigos e de muitas outras coisas boas que me esperam... supera toda e qualquer perspectiva de stresse pós-férias.

 

Sempre gostei de retornar!

 

Acho que sou uma felizarda porque gosto de tudo o que me espera!

A beleza de voltar a trabalhar no que gosto de fazer é uma sensação que me preenche... Estranho?Talvez....

Poucas pessoas terão esta vantagem de fazerem da sua vida o que mais gostam.

A sociedade civil e política  poderá ser a grande responsável por cada um de nós não poder fazer o que mais gosta... a pressão económica e dos bens de consumo e a pressão social para nunca ficar atrás dos outros elementos da sociedade poderá criar tanto peso que as pessoas se esquecem de si mesmas e fazem o que é suposto fazerem e não tanto o que lhes mais aprovier.

 

Mais uma vez ... a afectividade que cada um de nós tem por si mesmo condiciona-nos...

Deveremos prescindir das normas sociais para fazermos o que nos der na real gana?

Eu fui ensinada a ser assim... a respeitar-me acima de tudo sem nunca esquecer o respeito e o amor que tenho pelos que me rodeiam...

 

A todos os que me ensinaram ao longo destes anos de vida... um especial agradecimento...

 

Obrigada L.

Publicado por Larissa às 21:35

O modo como eu vejo o mundo... Tão condicionado como o de qualquer outra pessoa.
Pesquisar neste blog
 
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
17
19

21
22
23
24
25
26
27

28