A minha vida num Psi...

Agosto 03 2009

"De profundis"... traz-nos uma história em banda desenhada, mas não desenhada como o habitual.

Quem vai ver este filme pensa que perdeu uma das obras de Saramago. Mas não perdeu... "De profundis" abarca uma pequena metragem antes do filme propriamente dito... e é essa curta-metragem que se baseia numa obra de Saramago.

Fui ver por que gosto de Saramago, mas fiquei muito mais encantada com a longa-metragem do que com a curta.

A começar, toda a longa-metragem é desenhada em quadros... não é banda desenhada! É o movimento da câmara sobre a tela que marca a acção. Depois, pequenas alterações das telas marcam pequenas expressões faciais ou do meio ambiente em que decorre a trama. A repetição do mesmo em momentos diferentes não transtorna quem está encantado pela história.

A música, diga-se, é fantástica e quando vemos pequenos feixes de luzes, marcando notas musicais, sair da boca de um personagem... então percebemos porque seria necessário juntar poucas imagens a um momento músical tão bonito.

O violoncelo em imagem e em musicalidade lembra-nos que existe este instrumento musical menos marcante que outros mais ostensivos... mas que uma orquestra sem ele ficaria muito mais pobre.

Publicado por Larissa às 10:26

Deixaste-me curioso........
tufo a 4 de Agosto de 2009 às 15:12

O modo como eu vejo o mundo... Tão condicionado como o de qualquer outra pessoa.
Pesquisar neste blog
 
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
28
29

30
31