A minha vida num Psi...

Julho 29 2009

De volta ao meu lar!

Deixei a primeira fase de férias e já estou com vontade de voltar onde estive!

Fui a Berlim! É inacreditável como eu gosto daquela cidade!

Tem o museu mais incrível do mundo (não tão incrível quando o museu ao ar livre que é o Egipto ou Roma), onde se respira beleza. Ali sim eu respiro e nunca me falta o ar!

 

Vi muita coisa! Revi o museu judaico... onde paredes cinzentas, silenciosas, imensas, me faziam chorar em silencio por todos os que perderam a vida durante o extermínio nazi. Sou incapaz de perdoar esta crueldade!

 

Mas também me ficou a beleza de outros museus e nestes as esculturas mais fantásticas!

Saliento "Pan e Psyche"

 

O consolo que Pan dá a Psyche após o desgosto de amor que Cupido lhe provocou... é extraordinário!

A ambivalência de um Homem muito forte a dar consolo a uma Mulher frágil com um desgosto de amor... A capacidade de, através de uma escultura, fazer sentir que por detrás de uma imagem masculina algo grotesca existe uma grande capacidade de ser afectuoso e carinho ... é brilhante!

Fica-me esta alegria... fica-me este ar fresco!

Mas também me fica a reflexão, a introspecção de um Homem que em tudo lembra um lutador! É, sem dúvida, uma das obras primas feitas por Rodin

 

Em Setembro, em Paris, vou ver porque Psyche ficou tão desgostosa com a perda de Cupido!

E garanto-vos que promete!

 

 

Publicado por Larissa às 14:21

Uiiiii que férias mais espetaculares.
Imagino a beleza com que foste contemplada nessa viagem. Imagino também que Berlim deve respirar hitoria e memórias por todos os cantos.

Beijinhos e uma continuação de boas férias se for o caso
FilipeP a 29 de Julho de 2009 às 23:03

Obrigada pelo teu comentário!
Foram de facto excelentes férias até porque era a 4ª vez que ia a Berlim... de facto é uma cidade cheia de memórias muito importantes. Fui logo após a queda do muro, foi passados 10 anos e voltei agora! Vi esta cidade se transforma numa das mais interessantes a nível europeu.
Por outro lado, o facto de duas culturas tão distintas terem tido a honestidade e a humildade de se juntarem, após a queda, sem terem guerreado, em favor de um único objectivo, ou seja o bem estar da população, parece-me de extrema importância. E, acredita, isto pesa nas carga emocional das minhas memórias.
Mas acima de tudo é uma cidade onde ainda se sente o peso do Holocausto... pelo menos eu assim o sinto! E procurar coisa bonitas para que a minha memória não fique repleta de recordações de factos tristes... parece-me a melhor opção.
Parece-te bem?

Se ainda não foste lá.... vai, mas não tenhas pressa porque a cidade ainda está em obras... a não ser que decidas voltar... então vai já este verão... depois conta-me como te sentiste lá.
Larissa a 30 de Julho de 2009 às 12:37

De facto nunca lá fui e pela tua descrição parece um destino interessante. Imagino que para ti tenha mesmo essa carga emocional intensa, uma vez que estiveste lá depois da queda do muro, altura em que ainda estava tudo muito fresco na memória das pessoas,
Acho que agora o melhor é mesmo procurar essas coisas que tornam a cidade especial se haver essa ligação a esse passado. Tenho a certeza que haverá muito para ver.

Beijinho
FilipeP a 30 de Julho de 2009 às 21:33

O modo como eu vejo o mundo... Tão condicionado como o de qualquer outra pessoa.
Pesquisar neste blog
 
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
30
31