A minha vida num Psi...

Março 10 2009

Ontem apenas olhava para aquilo que não fiz, dizia a Rapariga Vestida de Pedaços de Lua enquanto olhava a Nuvem Que Deita Chuva. E porque não perguntou a Nuvem Que Deita Chuva. Sabes, tive uma conversa com Aquele Que Escreveu Sobre o Banquete. Conversava sobre Eros... sobre a ideia de que o amor é o que "apaga em nós a ideia de sermos estranhos uns para os outros e que nos comunica sentimentos de familiaridade".

 

E então o que isso tem a ver com aquilo que tu não fizeste? Bem, dizia a Rapariga Vestida de Pedaços de Lua, ainda não tinha  percebido porque não me conseguia aproximar do olhar d'Aquele Sol Que Queima Com a Luz. Não nos encontramos... No tempo d'a Terra Que Cheira a Alentejo Molhado; Estamos em tempos diferentes.

 

Que dizes? Perguntou a Nuvem Que Deita Chuva, que confusão fazes? No olhar d'Aquele Sol Que Queima Com a Luz os teus pedaços de lua brilham ainda mais. Vocês não são estranhos, são familiares, o teu brilho e a luz dele! E comigo, que encharco a Terra Que Cheira a Alentejo Molhado, fazemos com que o amor que nos une "restaure a natureza primitiva".

 

 

Obrigada a Platão que um dia escreveu O Banquete.

Publicado por Larissa às 17:46

Obrigada pelas tuas palavras e pelos parabéns .
Penso da mesma forma que tu, é agradável ler os blogues que já nos são familiares. Também dei pela tua ausência, por isso acredito que tenha sido uma fase que atingiu a todos.
Gosto deste conto e quanto mais o leio, mais interpretações lhe dou.
Bjinhos
engel a 12 de Março de 2009 às 17:46

O modo como eu vejo o mundo... Tão condicionado como o de qualquer outra pessoa.
Pesquisar neste blog
 
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

30
31